Kadu Rachid e a Deep Entertainment

Kadu-Rachid

 Kadu Rachid é de São José dos Campos e veio estremecer o solo da cidade mais frenética do Brasil. Ele é sócio da Deep Entertainment, uma agência de festas de e-music, que neste mês completa 4 anos de existência com uma Private Party que aconteceu na última sexta-feira, dia 11, no Espaço Funchal.

A Deep é conhecida por trazer grandes nomes da cena eletrônica mundial a cada edição. Entre eles, Pete tha Zouk, Kaskade, Erick Morillo  e Phonique. Outro diferencial: depois de São Paulo, a agência têm colocado cada vez mais os pés (e o corpo inteiro), em solo internacional. E os gringos gostaram! Em Miami eles realizaram a terceira edição da Day Party no Nikki Beach, maior rede de beach clubs no mundo, que marcou a abertura do Winter Music Conference, um evento clássico de música eletrônica, que aconteceu entre os dias 21 e 30 de março.

Veja as fotos da festa de 4 anos da Deep Entertainment que rolou nessa sexta-feira

Todo o sucesso do Kadu e, consequentemente da Deep, começou por acaso. Apesar do empresário ser um amante de festas eletrônicas, foi por um convite inesperado num bar em São José dos Campos que fez Rachid tomar gosto pelo mercado da noite. A continuação dessa história isso e muito mais você confere na nossa entrevista:

Catwalk: Da onde surgiu a ideia de trabalhar com o mercado de entretenimento?
Kadu: Sempre tive muitos amigos e conhecidos. Gosto de sair. Pelo menos uma vez por semana estou em algum lugar. Certa vez um amigo meu me chamou para ajudar em uma festa de um club em São José dos Campos, de onde vim. Supreendentemente, consegui levar mais gente do que ele, que trabalhava no local.  Deu tão certo que eu me envolvi e nunca mais parei. Atualmente, são quase 15 anos trabalhando com o mercado da noite.

Quais são as suas referências musicais?
House Music, o som que comanda os meus eventos. Sempre tive uma relação muito forte com a música, e acho que é o que me faz gostar de tudo isso.
Hoje, somos a única empresa de eventos de São Paulo (a Deep Entertainment) segmentada somente em música eletrônica. Investimos pesado para trazer os melhores artistas aos nossos eventos. Eu sou um consumidor do meu próprio produto e sei o que está acontecendo no mercado. Sou um consumidor nato de música boa.

Como surgiu a Deep Entertainment e como você a definiria?
A Deep surgiu de uma oportunidade de fazer uma festa de um club que eu era sócio, o Morocco. Ela aconteceu no Terraço da Daslu, 5 anos atrás. O evento foi tão positivo e trouxe tantas coisas boas que vi uma possibilidade de criar uma tour de festas em lugares exclusivos.
Então eu chamei meu sócio na época e ele topou. Isso foi em 2010, 2011, não havia nenhum grupo que fazia esse tipo de evento até então. Tenho muito orgulho de ter sido pioneiro neste segmento, e acredito que a Deep está posicionada como a única agência no mercado de São Paulo a produzir um tour de festas e-music para um público seleto e amante do estilo.
Não tocamos outros ritmos para não perdermos a nossa identidade. Por isso, temos grandes marcas como patrocinadores que acreditam nessa plataforma, que completa 4 anos de sucesso e 34 festas bombadas ao longo da nossa história.

Cite alguns dos eventos que você já realizou.
Temos duas festas que são as tradicionais: o aniversário da Deep e a White Party, que é a maior,  já colocamos 3.500 pessoas no Terraço Daslu.
Ano passado fizemos uma festa no campo de golf do Hotel Transamerica com o DJ Erick Morillo que, na minha opinião, foi a melhor festa de 2013. Digo isso porque fui nas principais festas que rolaram em Sampa, e sou super antenado no que os meus concorrentes estão fazendo.
Também temos um evento anual em Campos do Jordão que eu gosto muito, além de uma marca internacional que somos exclusivos no Brasil.
Já fizemos festas que pararam São Paulo e são sempre lembradas. Esse tipo de feedback é muito bacana. São muitos eventos de sucesso, cada um com o seu DNA.

Quais são os TOP DJs  associados à Deep?
Todas as festsa temos um TOP DJ. Cada Label Party tem o seu residente. Trabalhamos com marcas como HedKandi, Nikki Beach e Subliminal Sessions, que são as principais da cena eletrônica internacional. E este ano teremos festas com Pete tha Zouk, Kaskade, Erick Morillo, Phonique, Martin tej Velden, Tito, Mark Ursa e algumas outras atrações internacionais a confirmar. Além de, claro, os DJs nacionais que complementam nosso line up, igualmente importantes.

Quais eram suas expectativas em relação à festa que aconteceu nesta última sexta-feira, dia 11 de abril?
As melhores possíveis. Este ano vamos fizemos uma festa menor, mais para os amigos e clientes que estão sempre conosco. Os oito camarotes haviam sido vendidos dez dias antes do evento , justamente para esta rede de amigos, pois as festas ficaram muito grandes e às vezes perdemos um pouco o controle de quem compra convites on line, etc. Essa festa de aniversário foi um evento para 1.000 pessoas, e não para 2.500. Por ser nossa primeira festa de 2014, gostaríamos que fosse algo mais exclusivo mesmo. Acho que foi bacana darmos uma preferência para a galera que sempre nos apoiou.

Em quais lugares do mundo a Deep já esteve presente?
Nós temos três eventos anuais fora do Brasil. Em Miami já fizemos três edições, que em especial foi uma história muito bacana. Fui convidado pelos DJs Rodrigo Vieira e Ferris (residentes do club Green Valley) para fazer uma festa da Deep no restaurante Kone, de Miami, em 2012. Como foi um sucesso, pelo fato de acontecer junto com o Winter Music Conference e o Ultra Music Festival, repetimos a dose em 2013. Este ano tivemos a honra de receber um convite do Nikki Beach para transferir nosso evento para o club deles. Acabei de voltar de lá e conseguimos colocar 1.500 pessoas em nossa day party, com muita gente bonita e mais de 50 DJs, que oficialmente abriu a semana do WMC (Winter Music Conference).
No ano passado também fizemos uma Deep na Europa, em Ibiza, no Beach Club Blue Marlin, neste mesmo formato sunset, em pleno verão europeu. E também fizemos uma no club Bliss no Algarve, em Portugal, para 2.000 pessoas.
Somos hoje o único grupo a realizar eventos fora do Brasil e levar nossa marca para os melhores lugares onde toda demanda de público que respira dance music está presente. Fico muito feliz com este resultado!

Além da Deep, você tem mais algum investimento ou futuro projeto no mercado de entretenimento?
Sim, este ano estamos trazendo uma franquia de Miami para São Paulo em um projeto único, que realmente vai ser uma tremenda novidade. Aguardem o segundo semestre!

Leia também: Dré Guazelli: Brilha Muito!

Por: Juliana Diegoli

Tags: , , , , , , , , , , ,

Entrevistas O olhar sensível de Paula Vasone

Em busca de um sonho. Foi isso que motivou Paula Vasone, 30 anos, a se mudar para os Estados Unidos e dedicar sua carreira...

Entrevistas Entrevista com Ligia Costa

Viajar o mundo para registrar imagens de surf e da natureza é um sonho para muita gente. Mas poucos tem a coragem de abrir...

Entrevistas Catwalk entrevista: Rodrigo Sá

Falar de Rodrigo Sá é complexo. Como se não bastasse seu talento como cantor, a simpatia como pessoa e os olhos claros que deixam...