Promessas que você não vai cumprir

casal-feliz

Eles se conheceram no inverno, em uma dessas festas que ela costumava frequentar com suas amigas – aquelas que sobraram depois do surto inexplicável de namoros dos últimos tempos – em sábados alternados.

Estava muito frio – e só aquela vodka estava dando conta de esquentar -, a fila era quilométrica e ele apareceu. Ela nem notou, afinal, quem notaria aquele cara? Ela não tinha um tipo, mas se tivesse, não seria o dele.

A festa rolava inigualável, pessoas bonitas, todas aquelas amigas que ela frisava em dizer que eram as melhores já vistas, bebidas que evaporavam em um toque de mágica.

As coisas por ali estavam literalmente rolando, a amiga já havia caído – pela 3ª vez -, o globo que ficava preso naquele teto de espelhos parecia a perseguir durante a festa, e aquele espírito sedutor – que ela teimava em baixar quando bebia – estava ali, e não iria embora nem com reza braba.

Então, ele – aquele da fila, lembra? – apareceu, ela não estava fazendo nada, ele também. Fizeram nada juntos. E foi tão bom.

Depois daquele dia passaram a fazer nada juntos sempre que se viam. O lance deles não era nada sério, eles eram engraçados demais pra ter algo sério. Então combinaram não se apegar. (pausa pra rir, só um minuto!)

Não haviam cobranças, eles até andavam de mãos dadas tranquilamente, afinal, não tinham nada sério, então pra que se preocupar?

Preocupações causam rugas, ela já poderia ver, havia uma bem no meio da sua testa ultimamente.

Certo dia, ela sentiu a falta dele. Alerta vermelho!

Então, aquilo tudo estava virando um problema, e de quebra estava virando a cabeça dela (em pouco tempo a garota do exorcista passaria vergonha perto dela). Onde foi que ela se perdeu? E o combinado?

Depois disso ela estragou tudo, afinal, se ela não havia cumprido o acordo entre eles, o problema era todo dela.

Ele, como sempre, cumpriu aquele acordo, aquele de não se apegar, e ela acabou se apegando pelos dois. Ela e essa mania de excesso, na maquiagem, no batom, nas compras, no amor…

Ela pensou em dar na cara dele, sequestrar ele e deixar nos fundos da casa amarrado naquela bananeira que nem dá mais bananas, em uma ilha deserta ou no meio da Amazônia, mas tinha que contestar aquela atitude. Como assim cumprir esse acordo? Ninguém cumpre acordos desse tipo, até parece que não sabe.

Desesperada, pensou em desenhar, fazer mímica, qualquer coisa que demonstrasse o quanto eles eram bons juntos, o quanto o sorriso dele era mais feliz com ela e o quanto aquela barba por fazer que ele teimava em cultivar o deixava um charme, mas não.  Dessa vez ela não falou, afinal ele não estava errado ao cumprir o que prometeu, nem ela do contrário.

A gente sempre acha que vai conseguir cumprir todas aquelas promessas, de nunca se apegar, de nunca esquecer, de nunca ir embora, de nunca amar outra pessoa, de nunca mentir, de nunca magoar. Só que a gente não cumpre.

Um dia a gente percebe e já foi embora, já esqueceu, e estamos em alguns – poucos – casos amando novamente. E o pior, o ex da amiga!

Aquele papo de prometer não deve ser levado tão a pé da letra – não vale cruzar os dedos, ok? – , nós prometemos coisas que não podemos cumprir, como aquele “amar-te até o resto da vida”, que às vezes nem dura alguns míseros 12 meses.

O cara está ali, vivinho da Silva e deixou de te amar. E o que é que tem? Ele não pode fazer nada pra impedir, mesmo com a promessa que fez.

Foi o que aconteceu com eles, o que acontece com metade do mundo, provavelmente já aconteceu com você. Não?

Algumas promessas não vão ser cumpridas, então relaxa.

É ilusão prometer um amor eterno, se a gente nem sabe o dia de amanhã. A gente sabe, desde sempre, que não manda no coração e mesmo assim, como brasileiros natos que somos, insistimos em tentar controlá-lo.

Eu mesma já prometi nunca mais ligar para o ex, nem mandar bilhetes em guardanapos aos garçons daquele bar, prometi não cantar os boys na balada – com aquelas milhares de cantadas que eu aprendi -, prometi ficar longe de bundas e barrigas saradas, prometi não olhar para aquele carinha com a namorada ali na frente, mas não deu, não cumpri.

Desculpa aí mundo, me julgue, mas sou igual a você. Tem coisas que prometo e por mais que eu queira, não cumpro, então decidi prometer não prometer. Não cumpri.

Leia mais textos da Alessandra Menegaz.

Tags: , , , , , ,

Relacionamento Pare de maquiar as verdades

Todo mundo fala que a verdade é o bem mais precioso do mundo, e de fato é. Todo mundo fala, fala, fala, desde o...

Relacionamento Ele a tirou pra dançar, ela disse não.

Foi naquele dia, o dia em que aquele cara – bem apresentável e com um sorriso digno de um outdoor da Colgate – avistou...

Relacionamento Existe final feliz?

Faça-me um favor: feche bem os olhos e imagine os últimos capítulos de um relacionamento hipotético qualquer. Imaginou? Não, não quero que me conte...